segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Como alcançar as promessas de Deus?

Texto Base: Números 20:2-12
Introdução: Deus chamou Moisés e revelou a ele que tiraria o seu povo da escassez e escravidão do Egito e os levaria a uma terra boa, ampla, deleitosa, terra que mana leite e mel. Deus chamou e certamente cumpriria a promessa até porque Deus não chama ninguém pra morrer no deserto. Certamente que Moisés, também estava inserido nos planos de Deus, mas mergulhando na história, vemos que infelizmente ele não chegou a terra prometida, conforme está escrito em Deuteronômio 34:4-5 (leia).
Moisés morreu no deserto e isso nos faz perguntar: o que faltou em sua vida? O que o impediu de alcançar a promessa? Essa é uma reflexão legítima e necessária, pois nós também somos alvos de promessas e não podemos morrer no deserto, precisamos receber tudo o que o Senhor tem prometido. Em Números 20:2-12 encontramos as repostas que necessitamos:
1) Moisés não alcançou a promessa lhe faltou obediência
Moisés desobedeceu, Deus ordenou que ele falasse a pedra e ele decidiu fazer do seu jeito, movido pelo estresse bateu na rocha. A maneira de Deus sempre será a melhor, Ele sabe como fazer. Quando desobedecemos, inevitavelmente sofremos as consequências e o resultado na vida de Moisés foi o pior possível, não entrou na terra da promessa.
Faltou obediência em Moisés, faltou obediência no povo. Deus disse em Deuteronômio 5:29: “Quem dera que eles tivessem tal coração que me temessem, e guardassem em todo o tempo todos os meus mandamentos, para que bem lhes fosse a eles, e a seus filhos para sempre!
Ainda hoje creio que Deus está externando essa mesma expressão em relação a muita gente. As pessoas querem obedecer pela metade ou apenas no que é de seu interesse.  As pessoas querem justificar a sua desobediência. Quem não obedece é por que o orgulho, ainda ocupa um lugar de destaque no coração. Quer alcançar a promessa? Então seja obediente.
2) Moisés não alcançou a promessa lhe faltou arrependimento
E nenhum momento depois desse fato Moisés demonstrou arrependimento. Há algo que precisamos compreender: Não se conquista o novo com pendencias. Vemos isso na vida de todos os patriarcas, Jacó, por exemplo, viveu a vida inteira como fugitivo, até que se encontrou com Deus em Peniel.
Os próprios hebreus tiveram que passar 40 anos deserto, até que toda idolatria fosse retirada do meio do povo, e  mesmo depois desse tempo, nas portas da terra da promessa Josué ainda  confrontou o povo dizendo: “se vocês querem servir aos deuses dos amorreus em cujas terras habitais, a decisão é de vocês, mas eu e minha casa serviremos as Senhor”. Só depois da decisão, o povo entrou na terra.
Conclusão: Deus tem feito muitas promessas ao seu povo. Podemos alcançar ou não a promessa tudo depende de nós. Se houver obediência e arrependimento, isso será possível, caso contrário a história de Moisés pode se repetir.
“E SERÁ que, se ouvires a voz do SENHOR teu Deus, tendo cuidado de guardar todos os seus mandamentos que eu hoje te ordeno, o SENHOR teu Deus te exaltará sobre todas as nações da terra”.  (Deuteronômio 28:1).



terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Reformadores vivem pela fé - Parte 2

Texto Base: Marcos 5:24-34

Introdução: Estamos vivendo no ano da reforma, um tempo onde Deus certamente fará uma grande obra de transformação (pra melhor) em todas as áreas nossas vidas. Na semana passada começamos a estudar sobre o perfil do reformador e entendemos que é impossível que a reforma seja executada se não houver fé. Reformadores vivem pela fé. Essa semana vamos ampliar o entendimento tomando ainda, como base a história da mulher do fluxo de sangue. Ela tornou o impossível possível exatamente porque decidiu agir por fé. No estudo anterior abordamos o aspecto da iniciativa, a mulher não ficou lamentando, chorando antes, se levantou, rompeu a multidão e tocou no manto. Hoje vamos abordar outro aspecto não menos importante, a visualização.

Nenhuma reforma pode ser feita sem que antes uma imagem seja projetada na mente. Toda reforma exige do reformador uma planta, um projeto, uma imagem gerada, sonhada. 

Olhando pra história dessa mulher é possível observar claramente que:

1- Ela alimentou durante doze anos o sonho da cura – fechou os olhos da alma para os diagnósticos negativos e pela fé se via curada. No dia em que soube que Jesus estaria em sua cidade, ela saiu ao Seu encontro com a imagem formada do que faria ao vê-lo.
Isso a diferenciou de todos os outros doentes que estavam ao redor de Jesus. Os demais não tinham ideia do que fazer frente ao Messias, mas ela estava preparada para tocar em seu manto. A visão que estava em sua mente era tocar no manto, na peça de roupa que representava a autoridade de Jesus e receber a cura. Conforme o que viu em seu coração, assim aconteceu.

Ter uma imagem formada na mente é essencial para a mudança de uma vida, de uma geografia, de uma circunstância difícil.

Quando pela boca do profeta Elias o juízo de Deus veio sobre Samaria, levando aquela terra sofrer com seca e fome por três anos e meio (I Rs 17:1) a situação só foi revertida no momento em que o moço do profeta conseguiu ver uma pequena nuvem do tamanho da palma da mão do homem. 

Em I Rs 18:1 Deus, falou a Elias: “Vai apresenta-te a Acabe; porque darei chuva sobre a terra". Elias obedeceu ao Senhor e procura Acabe e transmite o recado: "Sobe, come e bebe, porque há ruído de uma abundante chuva" IRs 18:41. O detalhe é que até aquele momento não havia nenhum sinal de chuva, o céu estava limpo.

Depois disso o profeta sobe ao monte e começa a clamar. No intervalo entre um clamor e outro ordenava que seu discípulo olhasse para o céu, fez isso por seis vezes e a resposta do discípulo era a mesma: "Senhor, não há nada, nem sinal de chuva" I Rs 18:43. Elias continuou clamando e na sétima vez que ele envia o discípulo a espiar, ele volta dizendo: "Eis aqui uma pequena nuvem, como a mão de um homem, subindo do mar" I Rs 18:44. Depois disso a geografia de Samaria foi completamente transformada, a chuva caiu encerrando o tempo de sequidão e fome.

O mesmo aconteceu com Abraão, em Gênesis 12:2 Deus promete a ele: “E far-te-ei uma grande nação”. O tempo passou e nada da promessa se cumprir, Abraão inclusive chegou acreditar que essa descendência prometida viria a principio de seu sobrinho Ló e depois de seu servo de confiança Eliezer.  Mas um dia um dia Deus novamente fala com ele e ordena: “Olha agora para os céus, e conta as estrelas, se as podes contar. E disse-lhe: Assim será a tua descendência”. (Gênesis 15:5). Depois que ele visualiza as estrelas no foi como se ele tivesse visto o nascimento de Isaque e de todos os descendentes naturais e da fé espalhados ao redor do mundo. A promessa só se cumpriu depois que Abraão concebeu a imagem em seu espírito.

Precisamos compreender a importância de se ter um sonho claro e específico no íntimo. Todas as coisas acontecem por causa de um sonho, de uma visão. O próprio universo foi criado a partir de um quadro nítido visualizado por Deus. Conforme Sua visão no reino espiritual, assim se deu no reino da matéria (Hebreus 11:3) - Pela fé entendemos que os mundos pela palavra de Deus foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente.


Conclusão: Um dia Jesus disse a um pai que clamava por seu filho: “Se você pode crer, tudo é possível ao que crê”. Hoje creio que é exatamente isso que Deus esta falando a você: Se você consegue ver pelos olhos da fé o milagre, a reforma então assim se fará.