terça-feira, 2 de setembro de 2014

Em sintonia com Deus

Texto Base: Gênesis 4:3-12
Introdução: Há uma verdade irrefutável no mundo espiritual: “Quando o homem ouve a voz de Deus ele é abençoado, quando ouve a voz do diabo provoca maldições sobre si e sobre a terra”. A voz do nosso Deus tem o poder de construir, já a voz do inimigo tem a capacidade de destruir.
A voz de Deus é a única coisa que verdadeiramente importa. Quando ouvimos Sua voz recebemos direção e o suprimento para todas as nossas necessidades.
Que bom seria se os nossos ouvidos estivessem sempre abertos para voz de Deus e fechados para as más noticias, para as dúvidas que geram incredulidade, para as críticas, que nos roubam o foco e destroem nossa autoconfiança.
Nossa vida pode ser melhor, mais abençoada se ouvirmos a voz de Deus.
Agora, o que não podemos esquecer é que a benção ou maldição são consequência de nossas escolhas, isso fica claro quando lemos Deuteronômio 28:1-2: 1
Em contra partida, quando deliberadamente decidimos fechar os nossos ouvidos a voz de Deus nos tornamos alvos de maldição e nos tornamos como Caim:
1) Fratricidas - Caim rejeitou a voz de Deus no momento em que o Senhor lhe pediu uma oferta. Tanto ele como seu irmão, Abel tinham consciência que precisavam ofertar ao Senhor em reconhecimento de que a terra pertence ao Ele, mas Caim decidiu ignorar a voz de Deus e até entregou algo, mas não foi de acordo com a vontade de Deus.
Deus obviamente não aceitou a oferta Caim, porque Deus não aceita qualquer coisa. Deus estabeleceu princípios de contribuições que devem ser observados e cumpridos a risca. Não podemos fazer as coisas do nosso jeito quando Deus já estabeleceu uma linha de procedimento.
O certo é que Caim se encheu de ira e descarregou-a da pior forma, tirou a vida de seu irmão.
Essa história infelizmente não é única, ainda hoje muitos “Caims” tem aparecido e estão matando os “Abéis”. Caims cheio de ódio, inveja e que deixaram de ouvir a Deus para ouvir a voz da serpente. Por não terem as suas próprias vontades satisfeitas, julgam seus irmãos, condenam a morte e o sangue jorram na terra enfraquecendo-a com maldição. Beijam, abraçam, depois matam, quantas línguas mortais estão em nosso meio.
Quantos querem a honra que não é sua. Quantos querem a unção que não lhes pertencem, e possuído pela inveja, quando veem que o Senhor esta abençoando um irmão com muito ódio saem destilando veneno em suas línguas, matando quem estiver pela frente.
Abel morreu, muitos tem morrido.
Não sinta inveja do sucesso do teu irmão, pelo contrário ouça a voz de Deus que diz, alegrem-se com os que se alegram.
A coisa mais importante na nossa vida é reconhecer a voz de Deus no Espírito Santo.
O que você ouve determina o que fará ou falará depois.
Que voz você está ouvindo?
A voz da serpente, a voz da sua carne que diz:
- “Deus não se agradou, você”.
- “Você merece ser reconhecido, mas não é amado, por isso mate quem você acha que tomou seu lugar”.
 A voz do mundo, dizendo: “venha para mim”.            

Um espírito fratricida quer o reconhecimento que é do irmão, a honra, forçada e tenta adquirir isso através da morte do irmão. Quantos Abeis vão morrer?

Hoje Deus quer abençoar a sua família, a sua descendência. Ele quer que você ouça sua voz.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Uma visão ampliada

Texto Base: Números 13:1-3, 27-33

Introdução: Doze homens foram levantados por Moisés com o propósito de expiar a terra que o Senhor havia prometido dar ao seu povo. Aqueles homens precisavam ver para desenvolver em suas mentes uma estratégia de conquista, até porque tudo em nossa vida acontece de acordo com o que vemos. Ninguém conquista nada sem que primeiro uma imagem seja projetada na mente.  

Aqueles homens não eram homens comuns, mas doze príncipes que tinham a missão de gerar a partir da sua visão, a conquista de uma terra.

Hoje nós somos estes príncipes que o Senhor tem levantado para estabelecer grandes conquistas. Nossa visão precisa estar ajustada com a visão de Deus, logo:

1) Não podemos olhar para os desafios como intransponíveis.

Deus mandou que os príncipes olhassem a terra do alto da montanha, Ele queria que eles tivessem uma visão ampliada, porque quem olha por baixo, só vê o que está embaixo, e embaixo tudo parece maior que você, mas quando você olha de cima, tudo muda. Quando você olha de cima, você vê além da terra, você, vê o horizonte.

Deus nos convida a abrir o nosso entendimento para compreendermos que se nosso olhar estiver sempre fixo nas dificuldades nunca as venceremos. As dificuldades, as lutas os problemas existem não para nos derrotar, mas para nos tornar mais forte.

Aqueles homens tinham em suas mãos a chance de provar que eram príncipes governo de suas famílias, de sua tribos, mas as  dificuldades, corromperam a visão deles, as dificuldades se agigantaram diante deles, eles viram os filhos de Anaque, e esqueceram que eram filhos de Deus.

Muitos tem esquecido que são filhos de Deus, muitos tem amaldiçoado sua casa, sua vida. Diante das condições adversas agem como coitados. Deus não tem filhos coitados, não foi esse o seu projeto, Ele nos criou para governo, e somos coroa da sua criação, temos que nos movimentar nele e assim viveremos e pensaremos como Ele, nosso Rei e Senhor.

Eles viram as cidades fortificadas, e se amedrontaram, mas diante do poder de Deus a primeira delas, foi derrubada no grito.

Conclusão: Doze príncipes foram enviados, dez deles ficaram para traz e morreram no deserto com toda a sua geração por terem ajustado a sua visão a visão de Deus, apenas Josué e Calebe tomaram posse da terra justamente porque enxergaram sob a ótica do Senhor.

Estamos vivendo um tempo de milagres, precisamos ter cuidado para não perdermos a promessa gerada em nós. Acredito que aqueles dez homens esperavam que a terra lhes fosse entregue sem problemas. A promessa era linda, mas precisavam vencer as barreiras.


Josué e Calebe viram as mesmas barreiras, mas sabiam que o Senhor seria capaz de derrubar todas elas. Assim como eles nossa também visão precisa ser ampliada no nível da conquista que precisamos ter, Deus é conosco!